Marlene Dietrich: a outra Alemanha

Maio 6, 2017

Há 25 anos, morria solitária e insubmissa Marlene Dietrich. A Diva que odiava Hitler, era a «outra Alemanha».


A derrocada histórica de Merkel em Hamburgo

Fevereiro 15, 2015

uvotechart-2315~_v-videowebl54% dos eleitores de Hamburgo votaram hoje o novo Parlamento e a CDU de Merkel teve o pior resultado de sempre: 16%. Em 2008 alcançaram  42,6%! O SPD perdeu a maioria absoluta e os populistas de direita ultrapassaram os 5%. Quase metade dos eleitores ficou em casa e o Die Linke atingiu o melhor resultado na ex-RFA. Seis partidos elegeram deputados. A paisagem política alemã vai-se transformando.


Da Alemanha algo de novo

Novembro 19, 2014

logo_die-linke_530x168logospdlogo_gruene_footer

Foi hoje assinado o primeiro acordo governamental entre o Die Linke, o SPD e os Verdes. 25 anos depois da queda do muro, o Die Linke terá um presidente de um governo regional e o SPD e os Verdes dão o passo histórico de se coligarem com o partido herdeiro do SED. A(s) esquerda(s) consegue(m), assim, aliar-se para formar governo e logo com o SPD em posição minoritária. Foram muitos os obstáculos a ser ultrapassados. A resistência da facção neoliberal do SPD não deu tréguas e as campanhas mediáticas contra a coligação por parte de Merkel e CDU foram mais do que muitas. O caminho percorrido desde as eleições em Setembro passado traz muitos ensinamentos à esquerda europeia, nomeadamente à portuguesa, com o PS à cabeça. O processo foi muito interessante e a ele voltaremos um destes dias. Até lá, parabéns à Turíngia: a leste algo de novo.


A extrema-direita alemã: um novo patamar de violência

Outubro 27, 2014

hooligans-107~_v-videoweblA violência da extrema-direita alemã atingiu ontem um novo patamar em Colónia. O «combate aos salafistas» não passa de um alibi. A política neo-liberal dos últimos anos já dá frutos e infelizmente o Estado alemão sempre foi mais cego do seu olho direito.

http://www.tagesschau.de/multimedia/video/video-35353.html


Como «andam os gaúchos» e a arrogância das elites alemãs

Julho 16, 2014

ich-bin-stolz-berliner-zu-sein-sagt-jerome-boateng-2-v-r-einer-der-glaenzenden-vertreter-des-neuen-deutschlands-neben-lukas-podolski-v-l-per-mertesacker-mesut-oezil-ron-robert-zieler-und-sami-khediraOs campeões do mundo não souberam saborear a vitória sem humilhar os derrotados. Os jogadores Miroslav Klose, André Schürrle, Shkodran Mustafi, Mario Götze, Roman Weidenfeller e Toni Kroos entraram no palco montado nas Portas de Brandenburgo cantando, curvados, «assim andam os gaúchos», para depois se erguerem e gritarem «assim andam os alemães». Compreende-se que as novas gerações se irritem quando vêem a atuação do seu governo na Europa ser comparada aos pesadelos do domínio nazi. E também se compreende que considerem disparatado vestir a sua chanceler com a farda das SS, contudo terão de se perguntar quais são as razões que levaram seis jovens jogadores a necessitarem de humilhar o adversário perante centenas de milhares de fãs. É verdade que o «povo alemão» não é arrogante, mas não é menos verdade que parte importante da sua elite o é. Nomeadamente a que detém o poder económico e financeiro. A atitude destes seis jogadores é bem o sintoma dessa arrogância. E por isso temos de relembrar que Buchenwald fica ao lado de Weimar. Veja aqui.


A superpotência

Junho 11, 2014

merkel1ª página do jornal FREITAG de 28 de Maio: A Superpotência-O êxito dos adversários da UE é resultado da política alemã. Para que não se pense que na Alemanha todos estão de acordo com a agenda neoliberal das elites económico-financeiras alemãs.


«O estupor do Ministro das Finanças alemão»…

Outubro 22, 2013

wolfgang_2096193b…como lhe chamou José Sócrates, faz agora 40 (quarenta!) anos que é membro do Bundestag. Que dirão os nossos moralistas anti-dinossauros sempre dispostos a olhar para a Germânia como exemplo das virtudes democráticas reformistas?