Como «andam os gaúchos» e a arrogância das elites alemãs

ich-bin-stolz-berliner-zu-sein-sagt-jerome-boateng-2-v-r-einer-der-glaenzenden-vertreter-des-neuen-deutschlands-neben-lukas-podolski-v-l-per-mertesacker-mesut-oezil-ron-robert-zieler-und-sami-khediraOs campeões do mundo não souberam saborear a vitória sem humilhar os derrotados. Os jogadores Miroslav Klose, André Schürrle, Shkodran Mustafi, Mario Götze, Roman Weidenfeller e Toni Kroos entraram no palco montado nas Portas de Brandenburgo cantando, curvados, «assim andam os gaúchos», para depois se erguerem e gritarem «assim andam os alemães». Compreende-se que as novas gerações se irritem quando vêem a atuação do seu governo na Europa ser comparada aos pesadelos do domínio nazi. E também se compreende que considerem disparatado vestir a sua chanceler com a farda das SS, contudo terão de se perguntar quais são as razões que levaram seis jovens jogadores a necessitarem de humilhar o adversário perante centenas de milhares de fãs. É verdade que o «povo alemão» não é arrogante, mas não é menos verdade que parte importante da sua elite o é. Nomeadamente a que detém o poder económico e financeiro. A atitude destes seis jogadores é bem o sintoma dessa arrogância. E por isso temos de relembrar que Buchenwald fica ao lado de Weimar. Veja aqui.

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: