Imperativo Criativo

“Die einzig revolutionaere Kraft ist die Kraft der menschlichen Kreativitaet/A única força revolucionária é a força da criatividade humana.” Joseph Beuys

Agora que o capitalismo se dirige resolutamente para a era pós-industrial, coloca-se sob um imperativo criativo. 60 anos depois da crítica de Marx Horkheimer e Theodor W. Adorno à “indústria cultural” é notável a rápida transformação das cultural industries no espírito e motor de um novo capitalismo. Só o “nosso” Sócrates é que não deu por isso e vetou a cultura à maior indigência.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: